Pesquisar este blog

quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Criados em Cristo Jesus para as boas obras


 Pensando esses dias no que está acontecendo nas nossas redes sociais cheguei à triste e óbvia conclusão de que tudo que o ser humano toca se torna maculado pelo pecado. As redes sociais se propõem ao desenvolvimento de relacionamentos, mesmo que virtuais, e à ampliação de contatos com pessoas de diversas culturas e do mundo todo. Isso é muito bom! Mas não é tão bom assim na prática. O homem tem uma capacidade inata de perverter o que é muito bom em algo muito ruim. O que vemos acontecer no Facebook e, o que não vemos acontecer, mas acontece, no WhatsApp é terrível e maligno. Está muito longe de ser bom e fica ainda pior quando discípulos de Cristo se envolvem em contendas e maledicências, o que é abominável aos olhos do Senhor (Pv 6.16-19, Cl 3:8). 




Penso que, como fez José, devemos fugir de situações que desagradam a Deus e nos levem ao pecado. Precisamos identificar rapidamente o perigo e tirar os “pés dos laços dos passarinheiros” (Salmos 124.7). Se não passar pelo crivo do Senhor, então não é para ser dito, ou teclado, não deve ser espalhado, comentado, compartilhado, printado para ser encaminhado e etc. Se não edificar o corpo de Cristo, esqueça. 

Pergunte-se: os meus amigos poderiam ler todas as minhas conversas no WhatsApp? E o meu cônjuge? Eu teria coragem de mostrar todas as minhas conversas para o pastor? 
O Espírito Santo, que as vê constantemente, tem se agradado? Será que as palavras e posicionamentos compartilhados estão glorificando a Deus? O que fazemos no privado mostra o quanto nós somos transformados e o quanto de santificação temos desenvolvido de verdade. 



Nosso saber precisa se manifestar na prática. Não podemos negar a Cristo! Mas o fazemos quando somos levianos e pouco fiéis àquilo que Ele tem feito por nós e ainda há de fazer. Lembremos do nosso chamado. Fujamos do que nos leva a pecar, para que sejamos obreiros dignos e padrão de boas obras (Tito 2.7-8), praticantes daquilo que ouvimos como orientação do Senhor para os que são Seus. Não sejamos negligentes com tão grande salvação (Hebreus 2.3) dada pelo Senhor Jesus a nós “o qual a si mesmo se deu por nós a fim de remir-nos de toda a iniquidade e purificar para si um povo exclusivamente seu, zeloso de boas obras” (Tito 2.14). Para as boas obras nós fomos chamados. E que o Senhor nos ajude!

“Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas.” Efésios 2.10 


Abraços,
Roberta Leonardo Fonseca

*Ainda sobre esse assunto, leia também o texto Eram três amigas, de 18 de março de 2016.

terça-feira, 20 de março de 2018

EBD a todo vapor!!!

                     É um grande desafio nos dias de hoje estruturar e manter o trabalho da Escola Dominical com crianças, conservando o entusiasmo e a adesão por todo ano.

             
                    Um fator importante é a conscientização e preparo dos discipuladores, que estarão em sala de aula domingo após domingo, em relação ao trabalho a ser desenvolvido. Quando o professor da EBD ama aprender mais sobre a Palavra de Deus temos grande chance dele ter aquele brilho nos olhos enquanto ensina. Esse entusiasmo dificilmente pode ser forjado. Ele nasce de um coração que arde com as verdades que saltam das Escrituras e tomam vida no modelar do nosso caráter cristão, das nossas atitudes e escolhas. Como é maravilhoso podermos viver antes de compartilhar!




               Uma outra questão é fazer com o que os pais saibam o que está sendo trabalhado nas classes de EBD a cada trimestre. Faça uma reunião com os responsáveis que frequentam a igreja e compartilhe o conteúdo de uma forma prática. Sugiro que um dos professores dê uma rápida aula. Diga como eles poderão ajudar no aprendizado dos seus filhos em casa trabalhando também o que tem sido ensinado.

                   
                      Programe reuniões periódicas com os professores de cada segmento para que tirem dúvidas, troquem experiências e reavaliem estratégias.

                        O mais importante de tudo é não perder o deleite e a alegria de ensinar e de aprender cada dia mais de Deus e Sua Palavra.




E então, qual é a sua estratégia? Conte para nós nos comentários!

Abraços,
Roberta Leonardo Fonseca
https://www.facebook.com/semeandonocaminho/


terça-feira, 2 de janeiro de 2018

Salas de aula: vem com tudo 2018!!!

Mais um ano letivo se iniciará em nossas igrejas e departamentos infantis! 

Está na hora de fazer aquelas mudanças que empurramos em 2017.

Que tal começar pela sala de aula? Dar aquela repaginada e surpreender as crianças, tornando o departamento Infantil mais funcional e atraente é o nosso desafio.

Está faltando inspiração? 

Veja algumas ideias na minha página do Pinterest e adapte aos seus recursos e espaço. Confira: 



https://br.pinterest.com/fonseca0811/sala-de-aula/


Abraços,
Roberta Leonardo Fonseca
https://www.facebook.com/semeandonocaminho/

sábado, 15 de julho de 2017

Como ajudar o seu filho ou aluno a ter sucesso?

Quando temos um pensamento recorrente só temos duas opções: buscamos alguma distração até que ele suma ou encaramos e damos conta. 
Já eram 2h da manhã e eu ainda tentando organizar meus pensamentos. Pra começar a coordenar essas ideias me fiz a seguinte pergunta: como ajudar o  filho ou aluno a ter sucesso?  E mais essa: como ajudar o filho ou aluno a fazer boas escolhas na vida? Posso dizer como mãe, sem medo de errar, que nossa expectativa é sempre essa - que nossos filhos acertem, que tenham sucesso. Hoje, mais do que nunca, as famílias estão emprenhadas no bom desempenho e superação de seus rebentos a fim de alcançarem o sucesso.



Pois é aí que esbarramos no primeiro grande obstáculo. 

Qual é o conceito de sucesso? 






Ter dinheiro, muito dinheiro? Ter um excelente emprego? Chegar à chefia da empresa? Ter fama? Ter empregados, funcionários ou bajuladores ao redor? Isso tudo passa longe da definição adequada de ser bem-sucedido. 
Venha comigo!



Chega um momento na vida dos filhos, e posso incluir nossos alunos, que eles farão escolhas que se refletirão diretamente no desenrolar das suas vidas. Cada vez mais terão autonomia, cada vez mais também serão expostos a todo o tipo de caminhos. 




De cá, ficamos na torcida para que acertem o alvo, para que ponham em prática aquilo que ensinamos, para que usem os parâmetros que demos ao longo do caminho e façam a coisa certa. Mas para isso precisamos estar no caminho com eles, nessa jornada de aprendizagem que começa desde muito pequeno.





E será que nossas escolhas têm sido realmente boas em relação aos nossos filhos? 



Intelectual e fisicamente, creio que sim, na grande maioria dos casos. Lutamos para dar o melhor estudo, os melhores cursos de idiomas - e quando não dá pra ser o melhor, pelo menos o melhor que podemos -, atividades esportivas e físicas para complementar, etc. Tudo isso passa inevitavelmente pela escolha dos pais. 


Na área emocional já temos um pouco mais de dificuldade em acertar de primeira, mas ao menos nos preocupamos com seu equilíbrio emocional e estamos atentos para isso. Hoje vejo muito mais crianças indo a psicólogos que antigamente. 

Agora, quando tratamos das escolhas na área espiritual é muito comum ouvir: isso é uma escolha dele e eu não posso orientá-lo ou conduzi-lo. Não tem algo estranho nisso?



Na verdade, conduzi-los à Verdade (João 14.6), é acertar no alvo em cheio. Somos referência para eles, filhos e alunos. Seria diferente na questão espiritual? Mas, assim como nas outras áreas, precisamos ajudá-los em sua formação. Onde estão nossas crianças e pré-adolescentes? Estudando para ter um bom emprego, exercitando-se para ter uma boa saúde, cuidando-se emocionalmente para ter equilíbrio e inteligência emocional, indo à Igreja para aprender e se alimentar espiritualmente, se relacionar e servir ao próximo.

Voltemos às perguntas: como ajudar seu filho ou aluno a fazer boas escolhas na vida?  Levando-os a Cristo, o único que é capaz de nos dar vida em abundância, hoje e eternamente!

1 Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores.
2 Antes, o seu prazer está na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite.
3 Ele é como árvore plantada junto a corrente de águas, que, no devido tempo, dá o seu fruto, e cuja folhagem não murcha; e tudo quanto ele faz será bem sucedido.

Sl 1.1-3

Como ajudar o seu filho ou aluno a ter sucesso?
Essa resposta está no Salmo 112, que vale ser lido e relido para que não seja esquecido.

As boas escolhas são semeadas na infância e colhidas ao longo de uma vida.

Abraços,
Roberta Leonardo Fonseca


quarta-feira, 12 de julho de 2017

Eu fiz uma escolha ruim...

     Algumas reflexões costumam saltar, para mim, a partir de coisas bem inusitadas. Essa se enquadra nesse caso. Antes de contar qual escolha ruim eu fiz preciso situar o meu leitor para que entenda como isso aconteceu.




Minha filha Rafaela está praticamente de férias e costumamos ver filmes (mamãe/filhinha  ou filme de menininha, como ela chama) nessas ocasiões. Ela é craque em escolher filmes alternativos, o que já nos ocasionou boas surpresas, não na maioria das vezes, diga-se de passagem. Mas isso também já virou uma tradição e piada entre nós! Bem, foi assim que começamos essa história: ela selecionou no Netflix um filme chamado "Mamãe: Operação Balada" ("Moms' Night Out"). Quem veria um filme com esse nome? Eu e ela - fato! 


     A história é de uma mãe super estressada, com três filhos pequenos super levados e um marido bem ocupado. Logo no início descobrimos que o filme era do mesmo diretor de Desafiando Gigantes (Alex Kendrick). A família frequentava a Igreja Batista. Ela e suas amigas resolveram tirar uma noite de folga tranquila para bate-papo e jantar. Os maridos ficariam com os filhos por três horas. Naturalmente, tudo o que pode acontecer de errado, acontece. No fim, ela escreve em seu blog sobre essa experiência. Foi aquela cena que despertou em mim a reflexão: eu fiz uma escolha ruim...

Eu fiz uma escolha ruim...
  • quando escolhi minha profissão? Num país no qual o professor é super desvalorizado, abraçar minha vocação de educadora é tido, no mínimo e para muitos, como falta de inteligência.
  • quando deixei 10 anos de funcionalismo público para trás? Escolher ficar em casa na primeira infância para educar duas crianças, dar conta de todo o serviço doméstico, levar na escola e nas atividades extras, ser professora particular para ajudá-los nas tarefas, investir tempo e energia para ensinar os caminhos do Senhor, ao invés de sair todos os dias para longe de tudo isso é tido, no mínimo e para muitos, como insano.
  • quando resolvi assumir a missão de ser esposa de pastor? Trabalhar junto, estando presente e pegando pesado na igreja e fora dela, sem ser remunerada, e ainda assim sentir uma alegria em servir indescritível é tido, no mínimo e para muitos, como alienação.
  • quando abri mão de oportunidades rentáveis para dar prioridade a atividades com menos vantagens financeiras e de pouco vulto, mas com valores não palpáveis? Na nossa sociedade, fora e até dentro da igreja, agir dessa forma é tido, no mínimo e para muitos, como irresponsabilidade.
     
No meio de tantos questionamentos lembrei-me da serpente no Éden, semeadora de dúvidas.  Todas essas sentenças poderiam ter uma resposta afirmativa mas isso seria totalmente...

 
                                                                                              , pois os nossos valores não são os valores desse século - ou desvalores -, porque sei em quem tenho crido, pois sei que as sementes plantadas frutificam e frutificarão para a glória de Deus, sei que a sabedoria deste mundo é loucura aos olhos de Deus. 


     Então o meu coração descansa na verdade de saber que Ele é conosco e com nossas escolhas, mesmo que seja tosco, no mínimo e para muitos, pois ser discípulo de Cristo é na maioria das vezes andar na contracultura.

"Não atentando nós nas coisas que se veem, mas nas que se não veem; porque as que se veem são temporais, e as que se não veem são eternas." 2Co 4.18


Para quem ficou curioso, confira o trailer!


Abraços,
Roberta Leonardo Fonseca

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Juniores dentro e fora da igreja

 "Juniores e pré-adolescentes: como pais e professores podem ensinar no caminho em que devem andar"


Conheça  atividades e estratégias para se  trabalhar com o pré-adolescente 

  • na igreja (EBD,UCP, estudo dirigido, projetos, música) e 

  • fora da igreja (evangelização, passeios, devocional diário, vivendo para Cristo) 


E mais:
• O professor
• Conhecendo seus alunos
• Como planejar aulas dinâmicas para os pré-adolescentes?
• Outras propostas de trabalho
• Disciplina é um caso sério
• Você e o pré-adolescente
 

Abraços,
Roberta Leonardo Fonseca

quarta-feira, 3 de maio de 2017

Dia 14 de Maio!



Contagem regressiva para o dia das mães! Coloque versículos em um dos miolos das flores!!! As mães irão amar... 


Canal Youtube: A Arte de ensinar e aprender

Confira outras atividades, cartões e lembrancinhas que você poderá confeccionar com o seu Junior na página de Atividades!

Abraços,
Roberta Leonardo Fonseca
https://www.facebook.com/semeandonocaminho/

Quanto vale ou quanto custa? - uma reflexão sobre o Dia das Mães

         Relendo o texto postado em 2016, ele ainda faz tanto sentido para mim...

 Uma vez, conversando com meu sobrinho Rafael sobre o preço de determinado trabalho na área de tecnologia, ele me respondeu com uma pergunta: você quer saber quanto vale ou quanto custa? Realmente isso faz todo sentido e toda a diferença! 


          Vivi essa realidade na prática, esta semana. Ao sair com meu Schnauzer bati a porta e imediatamente percebi que estava com a chave errada. Sem ninguém para chegar logo de volta para casa, e sem o celular, me restou ir até o chaveiro. Pois bem, ele levou exatos 50 segundos para abrir a porta usando um acetato - o que também me alertou para a facilidade de abrir uma porta sem estar trancada. E esse serviço me custou... R$ 50,00! Para ele não custou nada, mas para mim valia muito estar dentro de casa novamente!


sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Juniores 2017

Você também é desses que acha que o ano só começa depois do Carnaval? Nada disso! É hora de dar início às transformações da sua sala de aula – ou do ambiente em que você dá aula - para o início da EBD 2017.





         Então, mãos à obra!!!




O primeiro passo é desentulhar o local das aulas. Quem gosta de estar num lugar desorganizado e cheio de coisas inúteis? Tire tudo o que é desnecessário ou que não tenha mais utilidade nesse momento. Peça autorização e ajuda da coordenação para descartar ou remanejar esse material para outro espaço. Retire também tudo que tiver relação com a unidade anterior para que a sala esteja preparada para a próxima unidade de estudo.